quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Quem cochicha o rabo espicha

Eu realmente não gosto de pessoas que vivem cochichando pelos cantos. Se alguém quer falar algo que os outros não possam ouvir, que vá para um lugar onde as pessoas realmente não te ouçam.
Porque quem cochicha o rabo espicha.

sexta-feira, 8 de outubro de 2010

Política

Não sei se infelizmente ou felizmente, eu não voto este ano. Estou fora do Brasil e meu título não foi transferido para cá. Então eu não faço parte do povo que vai decidir quem se tornará o governante do Brasil.
Entretanto, aqui de longe, vi muita coisa triste e suja antes das eleições. 
Eu ainda não acredito que uma personagem de comédia (Tiririca) tenha recebido um número tão grande de votos. E apesar do slogan do palhaço "Pior do que está não fica", eu tenho minhas dúvidas, pois a Lei de Murphy funciona bem.
Eu não acredito em candidatos que se julgam acima até mesmo de Deus.
Eu continuo achando que a política  não é lugar de humoristas, ex-pagodeiros, pitaqueiros de televisão, cantores, "mulheres samambaias" (usado o conceito de mulher que só ver para ficar em um canto e ser olhada) e por aí vai...
Eu não carrego (e nem quero carregar) a bandeira de partido algum. Prefiro analisar as posições de cada um, sem vestir um óculos que só faz ver aquilo que o partido quer. Assim como não defendo o governo anterior ao PT e nem defendo o Serra. Ninguém foi perfeito.
No que se refere às características necessárias aos candidatos à presidência do país, acredito que seria necessário alguém com, no mínimo, experiência política (não acredito que alguém que nem ao menos governou uma cidade possa governar bem um país... essa é uma convicção minha. Se esse for o caso do candidato que ganhar, tenho certeza que não será ele a presidir o país realmente).
Também creio que os candidatos tenham que ser pessoas idôneas. Eu, particularmente, não posso nunca acreditar em uma pessoa que falsificou uma declaração no currículo Lattes (para quem não está familiarizado, é o currículo para a área acadêmica, tendo como responsável o CNPq - que é um orgão Federal). Eu vi o currículo Lattes da sra candidata, enquanto ainda estava com falsas declarações. Hoje ele está corrigido e pode ser visto aqui. Porém cursar os créditos de um mestrado e/ou doutorado nunca dão o direito ao título como ela tinha declarado anteriormente. Isso é crime. 
Quanto à educação, nunca vou negar que durante todos os anos do governo Lula, o acesso à educação superior do país melhorou muito (não posso afirmar que a qualidade melhorou).
Entretanto, também sendo professora universitária de um centro universitário privado do estado de SP, observo que a qualidade dos alunos que acabam de ingressar no ensino superior é cada vez pior. Infelizmente, a maior parte deles não sabe escrever um parágrafo sem cometer um erro ortográfico, de sintaxe ou concordância, não sabe expressar uma idéia ou (pior ainda) não possui idéias próprias. Pensar não faz mais parte do "currículo" do ensino superior.
E como pensar não faz parte das atividades da "massa", declarações falsas no currículo Lattes passam a ser bobagens. Ou declarações confusas da sra candidata sobre o meio ambiente (veja o vídeo dela dizendo que o meio ambiente é uma ameaça no Kibeloco) também não interessam...

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Vídeo - hipocrisia ou o quê?

Acredito que realmente a política de dominação é secular no Brasil. Acredito também que o poder não corrompe, ele só mostra quem as pessoas realmente são.


video

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Musica para cada fase da vida acadêmica

Recebi por email e achei a pura verdade. Segue:

Bolsista de iniciação

Escuta as músicas que estão na moda. São os primeiro passos na vida científica. A vida é maravilhosa. Tudo é uma festa. Até a mísera bolsa de IC é uma fortuna.



Bolsista de Mestrado

Escuta música POP. Se está completamente empolgado com o que se faz, e quer ser o melhor na sua área. 



Bolsista de Doutorado

Escuta Heavy Metal. O dia começa às 8 da manhã e só acaba às 10 da noite. Nada dá certo e ainda tem que lidar com resumos para congressos, relatórios, disciplinas, paper para escrever, orientar os ICs, e resolver os problemas do orientador etc, etc.



Bolsista de Pós-Doutorado

 

Escuta MPB. Aumento de peso por causa do estresse. Percebeu que não pode salvar o mundo, mas isso não lhe importa, porque ainda assim te continuam pagando uma bolsa. E os papers? Se sair algum, beleza, se não, tudo bem, sempre se tem oportunidade para encaixar algum review.

Professor Doutor

Escuta jazz e música clássica . O senso de humor mudou totalmente daqueles dias de iniciação. O dores de cabeça são mais frequentes e começa a esquecer as coisas que foram faladas. Se vive a base da cafeína. O melhor é que ninguém pode te criticar.

Professor Titular

Escuta vozes em sua cabeça. Esquece dos horários das reuniões, dos dias da semana, do trabalho de seus alunos...

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Nem um dia

Quando as obrigações passam por cima da nossa vontade de ficar juntos todos os dias, eu me sinto assim.

------
Um dia frio
Um bom lugar prá ler um livro
E o pensamento lá em você
Eu sem você não vivo
Um dia triste
Toda fragilidade incide
E o pensamento lá em você
E tudo me divide


(Nem um dia. Djavan)
------


visite http://vivendoemporto.blogspot.com

terça-feira, 8 de junho de 2010

recebi por email e estou repassando porque gostei. Eu sou balzaquiana. OBS. Não conferi a fonte. ops...

A MULHER DE 30 ANOS

Honoré de Balzac

Ela perde o frescor juvenil, é verdade. Mas também o ar inseguro de quem ainda não sabe direito o que quer da vida, de si mesma e de um homem. Não sustenta mais aquele ar ingênuo, uma característica sexy da mulher de 20. Só que isso é compensado por outros atributos encantadores que reveste a mulher de 30.
Como se conhece melhor, ela é muito mais autêntica, centrada, certeira no trato consigo mesma e com seu homem. Aos 30, a mulher tem uma relação mais saudável com o próprio corpo e orgulho da sua vagina, das suas carnes sinuosas, do seu cheiro cítrico. Não briga mais com nada disso. Na verdade, ela quer brigar o menos possível. Está interessada em absorver do mundo o que lhe parecer justo e útil, ignorando o que for feio e baixo - astral. Quer é ser feliz. Se o seu homem não gosta dela do jeito que é, que vá procurar outra. Ela só quer quem a mereça.
Aos 30 anos, a mulher sabe se vestir. Domina a arte de valorizar os pontos fortes e disfarçar o que não interessa mostrar. Sabe escolher sapatos e acessórios, tecidos e decotes, maquiagem e corte de cabelo. Gasta mais porque tem mais dinheiro. Mas, sobretudo, gasta melhor. E tem gestos mais delicados e elegantes.
Aos 30, ela carrega um olhar muito mais matador quando interessa matar. E finge indiferença com muito mais competência quando interessa repelir. Não que fique menos inconstante. Mulher que é mulher,se pudesse, não vestiria duas vezes a mesma roupa nem acordaria dois dias seguidos com o mesmo humor. Mas, aos 30 ela,já sabe lidar melhor com esse aspecto peculiar da sua condição feminina. E poupa (exceto quando não quer) o seu homem desses altos e baixos hormonais que aos 20 a atingiam e quem mais estivesse por perto, irremediavelmente.
Aos 20, a mulher tem espinhas. Aos 30, tem pintas, encantadoras trilhas de pintas, que só sabem mesmo onde terminam uns poucos e sortudos escolhidos.
Sim, aos 20 a mulher é escolhida. Aos 30, é ela quem escolhe. E não veste mais calcinhas que não lhe favorecem. Só usa lingeries com altíssimo poder de fogo. Também aprende a se perfumar na dose certa, com a fragrância exata.
A mulher de 30, mais do que aos 20, cheira bem, dá gosto de olhar, captura os sentidos, provoca fome. Aos 30, ela é mais natural, sábia e serena. Menos ansiosa, menos estabanada. Até seus dentes parecem mais claros; seus lábios, mais reluzentes; sua saliva, mais potável. E o brilho da pele não é a oleosidade dos 20 anos, mas pura luminosidade.
Aos 20 ela rói as unhas. Aos 30, constrói para si mãos plásticas e perfeitas. Ainda desenvolve um toque ao mesmo tempo firme e suave. Ocorre algo parecido com os pés, que atingem uma exatidão estética insuperável. Acontece alguma coisa também com os cílios, o desenho das sobrancelhas, o jeito de olhar. Fica tudo mais glamouroso, mais sexualmente arguto.
Aos 30, quando ousa, no que quer que seja, a mulher costuma acertar em cheio. No jogo com os homens já aprendeu a atuar no contra - ataque. Quando dá o bote é para liquidar a fatura. Ela sabe dominar seu parceiro sem que ele se sinta dominado. Mostra a sua força na hora certa e de forma sutil.
Não para exibir poder, mas para resolver tudo ao seu favor antes de chegar ao ponto de precisar exibi-lo. Consegue o que pretende sem confrontos inúteis. Sabiamente, goza das prerrogativas da condição feminina sem engolir sapos supostamente decorrentes do fato de ser mulher.

terça-feira, 1 de junho de 2010

Novo espaço - nova vida

Depois de muito tempo sem aparecer por aqui, com muitos afazeres e mudanças na minha vida, volto a dar notícias. Não sei se conseguirei manter este blog aqui, mas estou abrindo um novo espaço, para contar da nova fase da minha vida.


abraços a todos.